Voltar para página principal do reToque

Voltar para página principal do reToque

Participantes multiplicadores

São 11 participantes que vão atuar como multiplicadores e amplificadores na etapa #brotada. Semeando em seus locais de origem ações que envolvam Contato Improvisação, dança e partilha do comum.

 
IMG_0842.PNG

André Kainan (Taguatinga/GO e Brasília/DF)

Reside e atua profissionalmente em Brasília. É dançarino e performer de contato e improvisação desde 2008. Participou de festivais de Contato Improvisação em Brasília, Salvador e Buenos Aires. Em 2010, fez parte da organização do primeiro Encontro Internacional de Professores de Contato improvisação da América Latina (EIMCILA) e, também, no mesmo ano, participou do festival em Com Tato. Em 2011, na companhia Caravana Bom Selvagem, apresentou junto com o coreógrafo Camillo Vacalebre a performance Máquinas da Felicidade, no Festival Nova Dança e foi integrante do Encontro de Internacional de criadores de contato improvisação organizado pelo coreógrafo Giovane Aguiar. Em 2015 participou do Projeto 'Disseminar Contato – Estação'. Também fez performances na Rodoviária de Brasília, no Espaço ECCO, nos 50 anos de Brasília e UnB.

 
Alessandra Valle

Alessandra Rosa Valle - Pirenópolis (GO)

Bailarina, coreógrafa, performer, professora e pesquisadora de dança, Mestre em Processos Composicionais para a Cena pela Universidade de Brasília. Atua profissionalmente com dança contemporânea há vinte e cinco anos, tem experiência com ensino, criação e produção em dança. Desde 2010, reside e realiza formação e ações públicas em dança na cidade de Pirenópolis-GO. Tem artigos publicados em periódicos acadêmicos e já produziu vários espetáculos e intervenções cênicas e performáticas, com gupos ou atuações solo. Ministrou oficinas em Brasília, Uberlândia e Goiânia.

https://alessandrarosavalle.wordpress.com/

 
Alessandra Terra

Alessandra Terra (Goiânia/GO)

Mestre em Educação Física pela UnB (2011-2013), especialista em Educação Física Escolar pela UnB (2010-2011) e Licenciada em Educação Física pela UFG (2006-2009). Participou do Núcleo de Estudos do Corpo e Natureza (NECON) da UnB e do grupo de dança ¿por quá?. Atua principalmente no seguinte tema de estudo e pesquisa: dança, corpo, diversidade, inclusão e cultura. Foi professora da Licenciatura em Dança no IFB (2012-2013); na PUC/GO foi também professora do curso de Especialização em Formação de professores: educação infantil (2014) e da de Licenciatura em Educação Física - EAD (2011-2015). Atualmente é professora de dança da Rede Estadual de Goiás no Centro Especial Elysio Campos junto a Associação dos Surdos de Goiânia e no Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte. É habilitada no método DanceAbility.

 
Brunna Franco

Brunna Franco (Goiânia/GO)

Natural de Vitória da Conquista - BA e criada nas cidades de Montes Claros, Juiz de Fora - MG e Goiânia - GO. Na infância teve contato com o balé e piano, participando de um concurso do instrumento. Já na cidade de Goiânia começoou a trabalhar com pessoas especiais e hoje tem uma experiência de 7 anos, atuando na Associação de Pais de Criançaas com Autismo Espaço Vida, educação especial inclusiva como treinadora da equipe, se capacitando também TransPsicomotricista Educacional em formação. Em 2011 iniciou seus estudos e práticas corporais no Centro de Capoeira Angola Barravento, do Mestre Goyano, que lhe proporcionou ter várias experiências vivenciais com manifestações da cultura afro brasileira, além da Capoeira Angola, como o Samba de Roda, o Maculelê, Tambor de Crioula, Cacuriá, o Boi, a Ciranda e o Samba de Coco. Dando vazão para um aprofundamento na área da dança, entrando em 2016 na graduação de Licenciatura em Dança pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e na área musical, com grupos percussivos de mulheres como Batuque Meus Amô (2013), Forró de Saia (2016), Bandita Codá (2016) e atualmente em atividade com o grupo Cocada Coral (2016).

 
Charles Rodrigues

Charles Rodrigues (Goiânia/GO)

 
Eva Maria Maria

Eva Maria Maria (Alto Paraíso/GO)

Eva Maria Maria, sou graduada em Artes Visuais pela UnB, dançarina, docente e mã. Trabalha com Ecoperformance, composições entre o corpo e o ambiente. Apaixonada por contato improvisação e dança butoh desde 2007. Tive como mestres Rocio Salmoraigui, Kathy Von Koerber, Atsushi Takenouchi, Sabrina Cunha. Estudei Contato Improvisação com Cristina, Lepkof, Nitta, Ray, Andrew, Eckhard e Daniela; Tal, Camilo, Soraya e Guto. Apresentei diversas performances de dança ambiental no Chile, Argentina e Brasil.  Coordena o Espaço Lotus - Arte, Cultura e Desenvolvimento Humano, em Alto Paraíso, GO; onde realiza residências artísticas e ministro aulas de Contato Improvisação. Tem interesses por: corpo líquido, voz em movimento, o desenvolvimento do movimento durante o início da vida, improvisação, espaços de convivência, colaboração e criação coletiva, vídeo-dança.

 
Joel Carlos

Joel Carlos Carmo (Cachoeira/BA)

Graduando em História na Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), atua como extensionista no Laboratório de Dança Contemporânea no CECULT (UFRB). Desde 2011 vem tendo trabalhos relacionados a performance, dança e conhecimentos corporais, participando de eventos culturais durante sua passagem no Colégio Limite, mas só a partir de 2015 que a vontade de trabalhar com as artes corporais surgiu. Sua primeira experiência com a performance surge em 2015, quando participou do Espetáculo Limite 15 Anose no Encontros de Negros UNIFACS/Feira de Santana, como performer.

 
Larissa Leão

Larissa Leão (Feira de Santana/BA)

 Graduanda no curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), integrante do Cineclube Mário Gusmão, projeto de extensão da mesma universidade, coordenado pelo Prof. Marcelo Matos de Oliveira, se dedica a prática do contato improvisação desde 2010 e direciona o seu trabalho a fim de estabelecer conexões entre o cinema e a dança.  Participou de diversos festivais de Contato Improvisação, como o Italy Contact Festival (Itália 2014), Fičo Dance Journey (Eslovênia e Croácia - 2014), EmComTato Festival (Palmeiras/Ba 2013, Salvador/Ba 2012, Salvador/Ba 2010) e do Transformando Pela Prática (Florianópolis - 2012).

Canal profissional no Vimeo: https://vimeo.com/user34143772

 

 
Maria Rita Davida

Maria Rita Davida (Goiânia/GO)

Atriz-dançante graduada em Habilitação Profissional Técnica em Arte Dramática pelo Basileu França. Faz parte do Núcleo Ocupada Madalena na cidade de Goiânia onde trabalha com Teatro das Oprimidas desde 2013, desenvolve trabalhos de produtora, performer, atriz-dançante e experimentos em performance. É discente do curso de Licenciatura na UFG. Iniciou seu processo artístico junto com pesquisas corporais/cênicas com o Teatro Zabriskie, realizou cursos de técnicas corporais em Artes Cênicas na Faculdade de Artes Célia Helena em São Paulo por três anos, e muito namoradeira do Contato Improvisação desde meados de 2012.

 

 
Marina Trindade

Marina Trindade (Belém/PA)

Artista circense, dançarina, contateira e produtora cultural. Atleta de ginástica rítmica (2000-2012), desde 2009 com experiências em técnicas circenses aéreas e de solo, formou o grupo Projeto Vertigem ( projetovertigem.wordpress.com ) em 2012, participou dos espetáculos “Te Vira! Tu não és de Circo?”, “mARESia”, “Trunfo”. Atualmente se dedica a pesquisa “De redes e anseios inundada”(2016). Est´ em cena, coordena e escreve projetos do grupo, três vezes premiado com Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo e pela Bolsa de Pesquisa e Experimentação da FCPará.

 
Patrícia Ferreira

Patrícia Ferreira (Goiânia/GO)