casacorpo
DSC00833.JPG

Residentes

GRUPOS RESIDENTES

Conheça os grupos, iniciativas e projetos que se relacionam
com a casacorpo e a utilizam como espaço de trabalho:

 

 Três integrantes do grupo ¿porqua? na ocupação Aparecidas.

Três integrantes do grupo ¿porqua? na ocupação Aparecidas.

¿por quá? grupo que dança

O ¿por quá? é um grupo que dança com um imaginário de pesquisa lúdica e mundana. Prima pela dança-acontecimento, dança curiosa e desobediente que passeia por uma estética contemporânea popular, se é que isso existe. Fundado no ano de 2000, na cidade de Goiânia/GO tem como foco a democratização e convocação à experimentação artística para o alcance e conquista de uma certa autonomia celebrativa da dança. Pesquisa atualmente ações de estética cotidiana pop e de gênero duvidoso. O grupo é o residente fundador da casacorpo, onde realiza seus processos de criação, ensaios, reuniões, aulas e o que mais inventar.

 

Vida Seca

Formado em 2004, o grupo Vida Seca realiza pesquisa sonora com materiais reutilizados, construindo instrumentos musicais que são a base para a criação de um repertório autoral. Em 2008 lançou o CD Som de Sucata e em 2012 o DVD Vida Seca. Em 2015 lançou o álbum Rua 57, n 60 e estreou espetáculo de mesmo nome. Já se apresentou em vários estados brasileiros, em 2009 e 2010 realizou turnês em Portugal e em 2016 apresentou a intervenção POR ACASO_tardes de improviso no Uruguai e Argentina. Atualmente está no processo de criação de seu novo espetáculo: "Instrumentralha". É um dos grupos fundadores e reside na casacorpo com seu ateliê, oficina e sala de ensaio no galpão de som e sentidos.

  

 Quatro integrantes do Grupo Vida Seca tocando instrumentos feitos de lixo.

Quatro integrantes do Grupo Vida Seca tocando instrumentos feitos de lixo.

 
 Pessoa fazendo anotações em segundo plano. Em primeiro plano papéis adesivos.

Pessoa fazendo anotações em segundo plano. Em primeiro plano papéis adesivos.

Ma1s Um - faz arte

Somos uma empresa de produção artística e cultural. Pesquisamos a articulação entre arte - encontro - lugar em projetos e iniciativas próprias, assim como de outras e outros profissionais e artistas. Temos a coordenação compartilhada entre a artista-produtora Lu Celestino e a produtora-criativa Maiene Horbylon, conectadas a uma rede de trabalho e afinidades de profissionais e estagiários com a expertise que cada iniciativa demanda, de forma a facilitar encontros que potencializem a prática da produção. (Nos) Convidamos e aceitamos convites. Com escritório residente na casacorpo, também realiza projetos e atividades em colaboração com o espaço,  estrutura e as pessoas criativas e arteiras que a frequentam.  Para saber mais sobre nosso trabalho visite nosso portfólio experimental no instagram: @maisum.fazarte

 

 

Ateliê do Gesto

O Ateliê do Gesto nasceu da busca por novas percepções e diálogos com outras linguagens artísticas no corpo em movimento. Através de identificações estéticas e o desejo de trabalharem num projeto autoral, João Paulo Gross e Daniel Calvet (artistas com carreiras consolidadas e passagens por importantes cias de dança no Brasil), se juntaram para pesquisar o corpo, tendo como ponto de partida o movimento e sua construção dramatúrgica na cena. Desse encontro nasceu O CRIVO, espetáculo inspirado na obra de Guimarães Rosa que fundou o grupo. É residente da casacorpo desde junho de 2017 e a utilizam principalmente como espaço para ensaios e processos de pesquisa e criação.

 Dois atores envolvidos em um espetáculo.

Dois atores envolvidos em um espetáculo.

 
 Cinco pessoas deitadas no chão, fazendo parte das atividade do Core Energetics.

Cinco pessoas deitadas no chão, fazendo parte das atividade do Core Energetics.

Grupo de Movimento CORE Energetics

O Core Energetics é um trabalho que foca na ampliação da consciência através do trabalho de desbloqueio corporal. O grupo de movimento acredita que o corpo é o lugar onde tudo acontece. Estar no corpo é estar no presente, é estar na realidade, é estar na real possibilidade de realizar o necessário... mudanças, cura, cuidado e acolhimento.

Com origem no Núcleo de Atendimento Social da formação em psicoterapia corporal sediado em Brasília, reside há dois anos na casacorpo sendo oferecido à comunidade com encontros semanais de uma hora e meia, realizados por três facilitadoras que utilizam como principal abordagem a Core Energetics criada pelo psiquiatra John Pierrakos nos anos 70 descendente de Freud e Wilhelm Reich.

 

Guilherme Bruno

Mestrando em Artes Cênicas pela Universidade de Brasília (UnB) com a pesquisa Vocalidade e Palhaçaria: um estudo sobre a aprendizagem da voz com palhaços/as. É licenciado em Teatro pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), onde também foi bolsista PIBIC e PIBID, iniciando-se nos campos da pesquisa e da docência em artes. Participou, neste período, dos grupos de pesquisa: Poéticas do corpo (IFCE-CNPq) pesquisando corpo, formação de ator e percepção e também, do grupo Drama, dramaturgia, cena: questões contemporâneas (IFCE-CNPq) pesquisando teoria/crise do drama e dramaturgia contemporânea. Possui experiências como ator, palhaço, docente e pesquisador. Participou de diversos projetos e formações com artistas do Brasil, Argentina, México, Estados Unidos, Itália e França. Como artista da cena, transita entre o teatro e a palhaçaria, alinhavando pesquisas nos seguintes assuntos: trabalho do ator, pedagogia teatral, voz e palhaço.

 Ator vestido de chapéu, terno e calças caídas, ao lado de uma cadeira no palco.

Ator vestido de chapéu, terno e calças caídas, ao lado de uma cadeira no palco.



PROJETOS RESIDENTES

 

 Participantes em roda no projeto Chama Casacorpo.

Participantes em roda no projeto Chama Casacorpo.

Chama casacorpo

Chamar a comunidade para conhecer a casacorpo e esquentar os movimentos nela presentes. Potencializar a existência enquanto um lugar cultural autônomo de artistas, ideias e experiências. Com realização residências de formação em gestão artística e cultural, vivências artísticas e de movimento, conversas, encontros e ampliação do alcance de difusão a partir da implementação de metas para uma comunicação que investiga estratégias de democratização e acessibilidade digital e comportamental. Esse projeto foi contemplado no edital de Dinamização de Espaços Culturais do FAC/GO - 2016.

Realização: casacorpo
Produção: Mais Um
Para conhecer mais o projeto acesse clicando AQUI.

 

POR ACASO_tardes de improviso

Ação artística de improviso de danças e músicas. Intervenção aberta, democrática e seriamente celebrativa. Um brinquedo urbano que caminha entre o popular e o contemporâneo. Um ponto de encontro inventivo da vida onde todos podem tocar e dançar, vivenciando o estar artista e não necessariamente ser. Esse encontro é chamado de, por acaso, tardes de improviso.
  Estreou em 2012, em Goiânia/GO, com o objetivo de ocupar a cidade com arte- festa. Uma intervenção urbana e mundana realizada e provocada pelo ¿por quá? grupo de dança e o grupo musical Vida Seca. Ambos desenvolvem pesquisas estéticas voltadas para a democratização do fazer e viver artísticos.
  Já se apresentou em diversos festivais de variadas áreas (dança, música, museus, teatro) e passou por Uruguai, Argentina, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Brasília, Tocantins e os municípios goianos Abadiânia, Águas Lindas, Alto Paraíso, Aparecida de Goiânia, Cidade de Goiás, Inhumas, Iporá,  Pirenópolis, Santo Antônio de Goiás e Vila de São Jorge.

Concepção e produção: MaisUm

 Grupo de pessoas dançando, tocando instrumentos feitos de canos de PVC em edição do Por Acaso.

Grupo de pessoas dançando, tocando instrumentos feitos de canos de PVC em edição do Por Acaso.

 
 Grupo de pessoas sentadas em círculo, uma atrás das outras, encostando cabeça nas costas da pessoa da frente, está é uma técnica do contato improvisação.

Grupo de pessoas sentadas em círculo, uma atrás das outras, encostando cabeça nas costas da pessoa da frente, está é uma técnica do contato improvisação.

reToque

reToque é uma plataforma dedicada ao desenvolvimento das artes do movimento, do som e da cena através de ações de pesquisa, formação e aprimoramento. Teve sua primeira edição em 2017 em formato de imersão em na técnica de dança do Contato Improvisação. A etapa de imersão foi realizada na casacorpo com método de partilha de conhecimentos, espaço e postura ativa e autogestiva entre participantes, equipe de produção e professores e professoras. As etapas de multiplicação foram realizadas em outros centros da cidade de Goiânia, como na Associação de Surdos, e também chegou nas cidades de Cachoeira e Feira de Santana na Bahia, em Belém no Pará e no municípios goianos de Alto Paraíso, Pirenópolis, Santo Antônio de Goiás e Taguatinga.

Para conhecer mais o projeto acesse clicando AQUI.

 

Olhares pra Dança

Projeto que busca criar cartografias artísticas da dança cênica goianiense evidenciando trajetórias que abriram espaços e olhares para a dança na cidade.

Para conhecer o site do projeto entre nesse link:  www.olharespradanca.art.br

 Mulher ouvindo áudio e observando fotografia na exposição Olhares Pra Dança.

Mulher ouvindo áudio e observando fotografia na exposição Olhares Pra Dança.

 
 Dois palestrantes e um grupo de pessoas participando de uma edição do Encontro conversado.

Dois palestrantes e um grupo de pessoas participando de uma edição do Encontro conversado.

encontro con(versado)

Realizado desde 2015 pela casAcorpO o encontro con(versado) é uma uma reunião no estilo butequeiro onde a conversa e o encontro se dão de forma mais casual e próxima e que se abre para todos os extremos. Conversas com artistas convidados sobre temas relacionados ao corpo, arte, cidade, política e estética. Ao convidado lançamos uma questão articulando com a sua subjetividade e sua produção, do sujeito que é para o trabalho que faz, para ele falar e falar de forma livre até não querer mais.
  Com provocação da professora-artista Luciana Ribeiro, já recebemos em nosso sofá Duda Paiva (Brasil/Holanda), Dudude Hermman (MG), Ana Alonso (SC), Carmen Werner e Alejandro Morata do Provizional Danza (Espanha), Andrea Bardawil (CE), Marcos Abranches (SP), Denise Stutz (RJ) e os goianos Kleber Damaso, Hélio Fróes e do Zabriskie Teatro os atores Ana Cristina Evangelista e Alexandre Augusto.


Seja também um residente da casacorpo!
Com experiência de gestão híbrida, a casa se articula como lugar criativo para você residir com seu trabalho artístico ou grupo de trabalho. Tem um projeto, ideia vontade que combina com a gente? Nos escreva no email contatocasacorpo@gmail.com e agende sua visita!
 

Vantagens para você
> Rede de artistas
> Privacidade para realização de processos criativos e ensaios
> Espaço para reunião ao ar livre
> Rua com facilidade para estacionar